Entrevista com Rafael Campos Rocha

Entrevistamos por e-mail nosso convidado de sábado, Rafael Campos Rocha, que nos explica um pouco mais sobre sua personagem gostosa Deus.

Lembrando que o bate-papo de sábado começa às 17h, na Itiban. Venha e alimente-se!

Onde Deus, essa gostosa, descansou no sétimo dia?

Na novela que escrevi pra Cia. das Letras, [descansou] na cama dela, em seu apartamento no bairro de Pompeia. Nas tiras ela quase nunca trabalha, e nos domingos menos ainda. O Universo acabou sendo uma máquina bem azeitada e Deus deixa sempre para resolver suas pendências na segunda-feira. Engraçado você perguntar isso, porque estou escrevendo um livro de Deus somente aos domingos, em que Ela tenta descansar mas alguma coisa sempre atrapalha, obrigando-a a destruir civilizações, espécies e mesmo planetas inteiros.

Se Deus é onisciente, ela sabe que é gostosa?

Claro! Ela é vaidosa a ponto de jamais sair na foto fazendo biquinho, botando o dedo na boca ou empinando a bundinha. Ela é uma gostosa integral. Ou seja, é pra chupar, morder e comer, não pra ficar olhando nem fazendo charminho ou seduzindo, essas bobagens.

Religião é um tema que tende a ofender demais as pessoas, por ser dogmático. É uma preocupação sua não ofender com essa personagem?

A minha ideia era justamente ofender e magoar as pessoas intolerantes, dogmáticas e hipócritas. Tudo o que eu faço, faço para chatear alguém.

O cristianismo diz que no Apocalipse, Jesus, o filho de Deus, voltará para julgar os vivos e os mortos. Se Deus é uma mulata fogosa, como vai ser esse fim do mundo? E qual é a de Jesus?

Tenho um gibi sobre isso. Chama “Gaysus, só o amor salva”. Está no blog. Nele, Jesus é um homossexual grandalhão e machão, que bota ordem na covardia e injustiça das sociedades paternalistas. O fim do mundo esteve próximo várias vezes nas tiras diárias. Quando a prefeitura de São Paulo pensou em instituir o “dia do hétero”, ficamos por um fio. No segundo livo que estou fazendo, Ela destrói a vida, que não é, nem de perto, uma de suas criações preferidas. Você acha que Ela parece mulata? Eu imagino ela sempre negra retinta.

Os 10 mandamentos da Bíblia ainda valem para o deus de suas histórias?

Olha, tem várias coisas lá que Ela acha válido. As exceções previsíveis: aquele negócio de castidade, de amar a Deus sobre todas as coisas e de ter um royalty sobre o nome que não pode nem usar em vão. Parece coisa da FIFA. Ela acha que botar lei para coibir pensamento também não funciona, e que a Alma é uma invenção do cristianismo para aprisionar o Corpo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Entrevista e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Entrevista com Rafael Campos Rocha

  1. Pingback: Leitura da semana | Blog da Itiban

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s